Pseudopapel

Migração do Google Reader para o Feedly

feedly-all-read

Como usuário do Google Reader há quase cinco anos, é claro que a notícia de que ele seria desativado a partir do próximo dia 1 de julho deixou-me à procura de um bom substituto. Como a notícia foi amplamente divulgada em diversos dos sites que eu acompanhava, ironicamente, no próprio Google Reader, testei alguns candidatos e rapidamente decidi-me pelo Feedly, graças à sua bela interface para iPad. Entretanto, o Feedly ainda necessitava do Google Reader para acessar o seu feed, algo que eles resolveram neste mês, a poucos dias do desligamento da plataforma antiga.

Mas ainda tinham ficado algumas dúvidas sobre como a migração ocorreria, como as que a minha amiga Cristina Castro expôs em seu Facebook (o link só vai funcionar para os amigos dela). Afinal, o Feedly tinha divulgado que a migração já se tinha iniciado, mas não deu muitos detalhes de como ela seria feita. Hoje, ele fez uma nova postagem em seu blog, dando instruções de como migrar, mas ainda fiquei com dúvidas, especialmente depois de ler que o processo era um pouco confuso. Então, após concluí-lo, com êxito e sem traumas, resolvi escrever este texto, que pode auxiliar os que tinham as mesmas dúvidas que eu tinha.

O primeiro passo foi entrar na nova interface web do Feedly. Lá, cliquei no botão “Login”, que é o do meio e não tem o mesmo destaque do botão “Import your Google Reader”. Por que fiz isso? Porque eu já tinha importado, desde março, e não acreditei que seria necessário. No meu caso, realmente não foi. De qualquer maneira, pelo que pude ver, ambos os links levam ao mesmo lugar. Mas, se você estiver entrando no Feedly pela primeira vez, é bom usar a primeira opção. É importante destacar que, se você já estiver logado no Feedly, deverá deslogar-se.

Home page do Feedly

Em seguida, abriu-se uma nova janela, do Google, solicitando que eu confirmasse que dava autorização ao Feedly para visualizar as informações da minha conta, gerenciar meus dados no Google Reader e visualizar meu endereço de email. Isso porque eu já estava logado em minha conta no Google. Quem não estivesse logado, veria a tela de login. Se a migração já estaria ocorrendo, por que é necessário logar-se no Google? Porque o Feedly seguirá usando sua conta no Google para login, da mesma maneira que diversos sites permitem que você se logue com sua conta no Twitter ou no Facebook. Ou seja, mesmo após o fim do Google Reader, sua conta no Google ainda estará atrelada ao Feedly, mas não mais alimentando os feeds.

Após a confirmação da autorização, a migração foi concluída em relação ao site e fui direcionado para a tela com todos os meus feeds. Entretanto, eles apareceram todos como não-lidos, gerando uma lista com “999+ itens”, o que seria um pequeno inconveniente, caso eu não soubesse, antes, que tinha apenas um item não-lido em minha lista. Felizmente, a contagem não se altera dentro do Google Reader, então, se você cumprir esses passos antes do fim da ferramenta, pode logar-se nela e verificar quais eram os itens que você ainda não tinha lido. Depois, vá a interface do Feedly que você estiver usando e procure pela opção “Mark category as read”.

Feedly: opção "Mark category as read"

O processo inteiro deve ser repetido em todas as interfaces onde você tiver o Feedly instalado, deslogando-se, fechando o programa e fazendo o novo login. No meu caso, fiz o mesmo no iPad, no celular e na extensão do Chrome que eu tinha instalado em outro computador. Se você for acessar apenas a partir do navegador, não será preciso fazer mais nada, e você pode só acertar essa questão dos não-lidos e começar a usar o Feedly.

Acho que consegui descrever o processo com o máximo de detalhes de que me lembrei. Se lembrar de mais alguma coisa ou se alguém tiver alguma dúvida nos comentários em que eu consiga ser útil — não sou exatamente um cara técnico –, atualizarei o texto.

Nenhum comentário

Escreva seu comentário

Nome:
Obrigatório.
E-mail:
Obrigatório; não será publicado.
Website:
Comentário:

Busca

RSS

Assine aqui.

Tempo de resposta

52 queries em 1,137 segundos.

Licença

Textos e fotos aqui publicados são liberados em Creative Commons sob a licença Attribution 3.0 Unported. Isso significa que podem ser usados em qualquer projeto, comercial ou não, desde que sejam creditados como "Alexandre Giesbrecht". Um link para cá é bem-vindo, assim como um aviso de que o material foi usado.

Quem?

Alexandre Giesbrecht nasceu em São Paulo, em abril de 1976, e mora no bairro do Bixiga. Publicitário formado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, é autor do livro São Paulo Campeão Brasileiro 1977 (edição do autor).

Outros projetos

Links