Pseudopapel

Sobre

Desde que parei de postar em meu blog anterior, sem motivo aparente mesmo para mim, passei a sentir falta de ter onde postar o que me vem à cabeça ou aparece na frente da lente da minha câmera. Mas eu queria um lugar com a minha cara, sobre o qual eu tivesse pleno controle, das configurações ao layout. Para isso, aprendi um pouco do mecanismo de publicação WordPress e passei alguns meses (com intervalos de várias semanas) desenvolvendo e adaptando tudo o que eu achava que deveria desenvolver e adaptar. E esse trabalho, aliás, não terminará nunca, pelo que conheço de mim mesmo.

O layout foi baseado no tema Modern Clix, do argentino Rodrigo Galindez, um tema simples e bonito, que me permitiu não só aprender um pouco mais sobre o WordPress como também configurá-lo da maneira que melhor atenderia o que preciso. Ainda brinquei muito com diversos plugins e vou brincar muito mais assim que sobrar tempo, um commodity em falta no meu dia a dia — eu odeio escrever “dia a dia” sem os hífens, mas no acordo ortográfico que já não é tão novo é o correto.

O nome Pseudopapel vem da minha fascinação por publicações impressas e também da minha falta de criatividade ao bolar nomes. Mas, acredite, é uma opção melhor do que as outras que me vieram.

Sobre o autor

Sou paulista, paulistano, são-paulino e pai de um garotinho nascido em 2008. Publicitário de formação, designer de revistas e jornais como autodidata, historiador esportivo como hobby. Ou seria designer de revistas e jornais de formação, historiador esportivo como autodidata e publicitário como hobby? Algo assim. Casado. Cansado. Mas sempre disposto se for para jogar bola. Goleiro. Conservador. Mas prefiro jogar adiantado, pois os zagueiros à minha frente têm o grave defeito de confiar em mim mais do que mereço ser confiado.

Desde 2006 moro em um bairro que é considerado Bela Vista pelos correios, Liberdade pela prefeitura, Bixiga por uma parte da vizinhança e Paraíso por outra. Para mim, é Bela Vista, mas provavelmente nunca terei certeza. Tenho um carinho especial por outras cidades do estado de São Paulo, como Aguaí, Guarujá, Itanhaém, Porto Ferreira, Santa Cruz das Palmeiras, Santana de Parnaíba, São João da Boa Vista e Sud Mennucci, cidade com o nome do meu bisavô. Não sou um apaixonado por trens como meu pai, mas gosto da história das estações, especialmente das antigas que ainda “sobrevivem” na Capital, como a Roosevelt (hoje Brás), a Júlio Prestes e a Luz.

Coleciono diversas revistas, mas a menina dos olhos é a Placar — que para mim não tem leitores, tem fãs. Guardo um monte de jornais, mantenho estantes e estantes com livros e sempre vejo papéis se acumular sobre minha escrivaninha e outros móveis da casa, especialmente a mesa da sala de jantar, o que incomoda muito a minha mulher.

Sou editor da maior (e única) revista eletrônica semanal de hóquei no gelo em português. Adoro escrever, desde que seja sobre algo de que eu goste. Adoro desenhar, pena que nunca evoluí depois dos seis anos de idade. Além de são-paulino, torço para os times de Pittsburgh nos esportes americanos (Penguins, Pirates e Steelers — talvez não por coincidência, a cidade não tem time na liga local de bola ao cesto). Na Wikipédia, atualizo e crio artigos sobre futebol, hóquei no gelo, beisebol e história do jornalismo principalmente, mas também tenho contribuído em artigos sobre outros assuntos sempre que o tema é interessante para mim e tenho algo a acrescentar ou sempre que acho algum erro ortográfico, gramatical ou de design.

6 comentários

Laercio Elias Pereira (1)

Opa, Alexandre, tentei escrever pelo blog e não deu. Colo aqui:
Caro Alexandre,
Eu gostaria de colocar a entrevista do Juca Kfouri do seu blog na biblioteca do Centro Esportivo Virtual (ONG). Como faço a referência?
Obrigado.
Laercio

27 de dezembro de 2011, 8:57

eduardo cornetta (1)

oi,alexandre quero comprar o livro do sao paulo,do titulo de 77
por favor me mande por e-mail os dados da compra,pois nao consegui pelo outro
obrigado

25 de março de 2012, 0:38

Alexandre Giesbrecht

Oi, Eduardo, já conversamos por email e, conforme te informei, aviso assim que chegar a segunda leva de livros, pois a primeira esgotou-se.

25 de março de 2012, 15:24

Rafael (1)

Bom dia,

Li seu post sobre futebol de botão e achei o máximo, você joga atualmente?

15 de abril de 2012, 9:26

Alexandre Giesbrecht

Oi, Rafael. Obrigado pelo elogio. Não jogo mais futebol de mesa, infelizmente, a não ser por brincadeira com meu filho. Parei em setembro de 1997.

21 de abril de 2012, 17:36

Gilberto - Araras (1)

Olá Alexandre

Eu precisava entrar em contato com seu pai e acabei encontrando seu Blog.
Estou vendo que tem muito a ver com o mesmo.
Assisti uma palestra com ele na Uniararas e lhe devo um favor.
Será que você poderia fornecer um meio de entrar em contato com ele, pois no blog dele não tem um link para isso. Também enviei um convite pelo Facebook mas parece que ele ainda não viu. Poderia alerta-lo?

Grato pela atenção!

16 de junho de 2013, 18:43

Escreva seu comentário

Nome:
Obrigatório.
E-mail:
Obrigatório; não será publicado.
Website:
Comentário:

Busca

RSS

Assine aqui.

Tempo de resposta

31 queries em 1,145 segundos.

Licença

Textos e fotos aqui publicados são liberados em Creative Commons sob a licença Attribution 3.0 Unported. Isso significa que podem ser usados em qualquer projeto, comercial ou não, desde que sejam creditados como "Alexandre Giesbrecht". Um link para cá é bem-vindo, assim como um aviso de que o material foi usado.

Quem?

Alexandre Giesbrecht nasceu em São Paulo, em abril de 1976, e mora no bairro do Bixiga. Publicitário formado pela Escola Superior de Propaganda e Marketing, é autor do livro São Paulo Campeão Brasileiro 1977 (edição do autor).

Outros projetos

Links